Desafeição musical

Outro dia conversava com amigos como costuma acontecer sempre, pra minha infelicidade (exagero no modo On) alguém mencionou a Pitty Leone.
Antes de eu continuar, vamos combinar que não a conheço além que a mídia mostrou até hoje. Fique claro também que não sou nenhum profissional do ramo e por isso não tenho nenhum objetivo mercadológico a respeito.
Da primeira vez uma amiga minha, com quem eu eventualmente compartilhava músicas que eu achava legais, emprestou-me um CD e me disse pra escutar e dizer pra ela se eu gostava.
Naquela época eu tinha mais facilidade pra ouvir música atento também ao trabalho. Era um tanto mais simples ter o que fazer sem a pressão de gente sem noção nenhuma de gestão*.
Fato é que eu ouvi o CD umas 5 vezes em várias ordens diferentes. E em nenhuma delas foi possível gostar de nada do que tinha ouvido. Não por demérito da banda que fez bem o seu trabalha naquele disco.
Comentei meu desagrado com a Rapha e ficou por isso mesmo.
Um tempo depois ela me trouxe o mais novo trabalho da mina que tinha acabado de ser lançado. Fiz uma força pra me isentar e ouvi o disco novo.
Lembro-me claramente de ter notado uma razoável melhora na sonoridade da banda, coisas de produção e arranjos e tal. Mas ainda me incomodava (sim, incômodo mesmo) aquela pessoa cantando letras que pareciam ter saído de uma diário de uma punk-rocker-rebelde-sem-causa com uma afinação incomum.
Algumas pessoas dizem que o Herbert Viana não sabe cantar e tal. Bem, ele não tem uma voz aveludada que o ajude na missão mas ele sabe sim cantar e tem feito com isso uma carreira motivadora.
Não bastasse a guria não ser minimamente afinada o timbre de voz dela, com o auxílio nada luxuoso do piercing na língua, consegue ser cliente certa para uma clínica de fonoaudiologia. ‘Cantora’ com língua presa é pior que locutor gago.
Ah, mas pode alguém dizer que ela é só mais uma carinha bonita no meio musical. Eu digo que não. A Pitty está mais no nível da Joelma que canta muito melhor que ela e fez alguma plásticas já.
Então fica aí meu post que nem vai ser lido por ela mesmo e se for, ‘que bom’. Eu bem deveria nem dar publicidade pra ela porque além dela não estar à altura disso isso nem vai fazer diferença no orçamento.
Mas o real objetivo deste post era recomendar que atentem pra o que você anda consumimdo. Conteúdo é tudo!

(*Minhas críticas eventuais a aspectos da minha vida profissional poderão permear textos de outros temas)